L O A D I N G

Caros peregrinos, hoje, abrimos a nossa novena do mês de agosto. Novamente partiremos em direção ao mais íntimo de nós! Vamos ao mais profundo do nosso coração!

Para esse mês de agosto, baseado na 4ª Aparição de Nossa Senhora, ocorrida nos Valinhos, aparição esta que Nossa Senhora além de insistir que continuássemos a rezar o terço todos os dias, pediu que rezássemos muito!” A ideia de fazermos essa Novena, permite-nos identificar as ideias fundamentais da Mensagem de Fátima e aprofundar os seus temas mais significativos.

Na aparição de agosto, identificamos a exortação final de Nossa Senhora como as palavras mais importantes:


”Rezai, rezai muito e fazei sacrifícios pelos pecadores, que vão muitas almas para o inferno por não haver quem se sacrifique e peça por elas”

Texto base Miguel Almeida

 Terço (Credo, 1 Pai Nosso, 3 Ave-Marias)
Leitura das Memórias da Irmã Lúcia – trecho da 4ª  Aparição de Nossa Senhora.
Local: Valinhos
Data: 19 de agosto de 1917
Pessoas presentes (no dia 13): 15.000 a 18.000
 

Andando com as ovelhas, na companhia de Francisco e seu irmão João, num lugar chamado Valinhos, e sentindo que alguma coisa de sobrenatural se aproximava e nos envolvia, suspeitando que Nossa Senhora nos viesse a aparecer e tendo pena que a Jacinta ficasse sem A ver, pedimos a seu irmão João que a fosse a chamar. Como ele não queria ir, ofereci-lhe, para isso, dois vinténs e lá foi a correr. Entretanto, vi, com o Francisco, o reflexo da luz a que chamávamos relâmpago; e chegada a Jacinta, um instante depois, vimos Nossa Senhora sobre uma carrasqueira.

– Que é que Vossemecê me quer?

– Quero que continueis a ir à Cova de Iria no dia 13, que continueis a rezar o terço todos os dias. No último mês, farei o milagre, para que todos acreditem.

 
(dizer o mistério): 1 Pai-Nosso – 10 Ave-Maria;

Glória ao Pai…

Ó meu Jesus, perdoai-nos, livrai-nos do fogo do inferno, levai as almas todas para o Céu, e socorrei principalmente as que mais precisarem./

Ó Maria concebida sem pecado…
São José, rogai por nós / Santos Francisco e Jacinta Marto, rogai por nós.
Vamos ler um trecho do Evangelho de São João, do capítulo 4, da mulher Samaritana.

Que a partir do encontro, possamos conhecer, compreender, conviver e crer em Nosso Senhor, tal como aquela mulher.

Naquele tempo, Jesus chegou a uma cidade da Samaria, chamada Sicar. Era aí que ficava o poço de Jacó. Cansado da viagem, Jesus sentou-se junto ao poço. Era por volta de meio-dia. Chegou uma mulher de Samaria para tirar água. Jesus lhe disse: “Dá-me de beber”. A mulher samaritana disse então a Jesus: “Como é que tu, sendo judeu, pedes de beber a mim, que sou uma mulher samaritana?” De fato, os judeus não se dão com os samaritanos. Respondeu-lhe Jesus: “Se tu conhecesses o dom de Deus e quem é que te pede: ‘Dá-me de beber’, tu mesma lhe pedirias a ele, e ele te daria água viva”. A mulher disse a Jesus: “Senhor, dá-me dessa água, para que eu não tenha mais sede e nem tenha de vir aqui para tirá-la”.  Disse-lhe Jesus: “Vós adorais o que não conheceis. Nós adoramos o que conhecemos. Mas está chegando a hora, e é agora, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e verdade. A mulher disse a Jesus: “Sei que o Messias (que se chama Cristo) vai chegar. Quando ele vier, vai nos fazer conhecer todas as coisas”.  Disse-lhe Jesus: “Sou eu, que estou falando contigo”. Muitos samaritanos daquela cidade abraçaram a fé em Jesus. Por isso, os samaritanos vieram ao encontro de Jesus e pediram que permanecesse com eles. Jesus permaneceu aí dois dias. E muitos outros creram por causa da sua palavra. E disseram à mulher: “Já não cremos por causa das tuas palavras, pois nós mesmos ouvimos e sabemos que este é verdadeiramente o salvador do mundo”.

 

(dizer o mistério): 1 Pai-Nosso – 10 Ave-Maria;
 
Glória ao Pai…
Ó meu Jesus, perdoai-nos, livrai-nos do fogo do inferno, levai as almas todas para o Céu, e socorrei principalmente as que mais precisarem./
Ó Maria concebida sem pecado…
São José, rogai por nós /
Santos Francisco e Jacinta Marto, rogai por nós.
Escolhemos começar os nossos encontros de Agosto com esse tema “Donde é Vossemecê?”, para ressaltarmos a importância do “encontro”. Veremos nesses primeiros dias que tudo começa sempre com um encontro. Nossa Senhora, mais uma vez diz a Lúcia que continue a vir ao Seu encontro para depois (dizer) mostrar quem é Ela.

– De onde é Vossemecê?

 

Esta pergunta, na verdade significa perguntar: quem é Vossemecê?

No fundo essa pergunta nos une para aprofundarmos cada vez mais nosso conhecimento na Mensagem de Fátima!

Quem é essa “mulher”, a Virgem de Nazaré que apareceu em Fátima?

Interessante, que Nossa Senhora, desde a primeira aparição, reforça que DEPOIS é que Ela vai dizer quem é.

– Vim para vos pedir que venhais aqui seis meses seguidos, no dia 13 a esta mesma hora. Depois vos direi quem sou e o que quero. (13 de maio de 1917)

Curiosamente esta expressão de Nossa Senhora nos deixa um desafio desde o início.

De fato, a apropriação do mistério cristão e este “entender” quem é Nossa Senhora, faz-se primeiro pelo encontro – “Quero que venhais aqui” –  e só depois do encontro é que Ela vai então dizer quem é.

O papa Bento XVI, quando escreveu sua Carta Encíclica “Deus Caritas Est”, expressou algo bem parecido com essa questão:

No início de ser cristão, não está uma decisão ética, não está uma ideia, não está um conhecimento teológico. O início de ser cristão está marcado pelo encontro com “uma Pessoa” que dá à vida um novo horizonte que é Jesus Cristo.