L O A D I N G

FÁTIMA EM PERSPECTIVA TRINITÁRIA

A narrativa da Anunciação do anjo Gabriel a Maria é escrita na perspectiva trinitária de Lucas que pinta um retrato literário da Virgem. Trata-se, evidentemente, de teologia narrativa e de mariologia trinitária (Lc 1, 26-38). É surpreendente para quem recebe e lê o texto como a Igreja Católica o faz, como se dissipa todo preconceito ou reserva quanto ao relacionamento de Maria com cada pessoa da Santíssima Trindade e a participação dela na obra divina da redenção.

Gabriel é enviado da parte de Deus Pai a uma Virgem, desposada com um homem chamado José. O nome da Virgem era Maria que significa excelsa, sublime.  Depois da saudação ter expresso a plenitude da graça da qual a jovenzinha é enriquecida, diz-lhe que será Mãe de um Filho a quem dará o nome de Jesus o qual será chamado Filho do Altíssimo, recebendo o trono de Davi. Portanto, Aquele no qual se cumprem as promessas messiânicas. Diz-lhe mais: O Espírito Santo virá sobre ti e o poder do Altíssimo vai te cobrir com sua sombra (v. 35).

Também o batismo de Jesus que o introduz em sua missão é uma narrativa trinitária (Lc 3, 21-22). Aponta para o relacionamento triádico do Filho, especialmente com o Pai e na força do Espírito Santo. Igualmente na despedida quando o Ressuscitado afirma: Eis que eu vos enviarei o que meu Pai prometeu. Por isso, permanecei na cidade até serdes revestidos da força do Alto (24, 49). Trata-se da promessa do Espírito Santo sobre a Igreja nascente.

Irmã Ângela de Fátima Coelho nos faz caminhar e até viajar Dentro Da Luz, um itinerário para compreender a Mensagem de Fátima, respectivamente título e subtítulo de seu precioso livro. Nesta obra, com muita clareza e beleza, ajuda-nos a contemplar a Santíssima Trindade como horizonte teológico das aparições. Com tal chave de leitura, tão alta, favorece aos intelectuais católicos e a muitos sacerdotes a considerarem Fátima com o devido valor. Não tão somente devoção mariana ao lado de outras tantas. Não apenas Revelação Particular sem lhe dar a mesma importância dada pelo Povo de Deus peregrino e o reconhecimento e prestígio dados pelos últimos Papas, sobretudo, aqueles que peregrinaram a Fátima. 

Irmã Ângela não desloca ou tira Maria do seu lugar exponencial na Mensagem.  Diz-nos apenas e muito que “guiados pelo Anjo da Eucaristia e por Nossa Senhora e inspirados pelo exemplo traçado pelos três Pastorinhos, entramos…  no mistério da Santíssima Trindade…”   A Trindade é quem ocupa o lugar principal, pois é Deus. Para muitos, surpresa. Para todos, surpreendente. De certa forma, o próprio mistério eucarístico é proposto em perspectiva trinitária. Explicitou: “Fátima começa com o mistério da Santíssima Trindade em união profunda com o mistério da Eucaristia e termina precisamente da mesma forma. Tudo começa e termina com a Santíssima Trindade e a Eucaristia”.

O olhar do horizonte é vertical (!), desde a adorável Trindade, a visão do anjo e os vários significados possíveis dos reflexos de luz da Senhora, de onde vem e para onde retorna, na visão do fogo do inferno e na conversa sobre a situação de risco no qual os pecadores se encontram, na esperança da salvação e da realização das promessas, entre outros temas afins.

O olhar é, de fato, horizontal e político quando versa sobre segredos e se estende sobre o mundo e seus conflitos: guerra e paz, erros da Rússia e consagração ao Coração Imaculado, cristãos perseguidos e sofrimento do Papa, sacrifício e reparação, adoração e oração do terço, confissão e Eucaristia. Tudo se intercruza e se harmoniza em simples e alegre espiritualidade, acessível aos pobres e puros de coração (Mt 5, 3.8) que unem vida sacramental e devocional.                                   

0 Comments