Santa Escolástica, a irmã gêmea de São Bento

Hoje a Igreja celebra a memória de Santa Escolástica, irmã gêmea de São Bento, nascida no ano de 480 na Itália em uma família de nobres. Sua mãe morreu no parto e, por isso, eles foram criados pelo pai, Eupróprio. Antes mesmo de seu irmão aderir à vida religiosa, a jovem se consagrou a Deus com o voto de castidade.

Mais tarde, inspirada por Bento, que havia fundado o mosteiro de Monte Cassino e criado a Ordem dos monges beneditinos, Escolástica criou um mosteiro de irmãs. Era o início da Ordem das beneditinas, cujo nome é uma homenagem ao irmão. Foi ele, inclusive, que elaborou as Regras da comunidade que reunia as jovens consagradas.

Pouco se sabe da vida de Escolástica, mas há relatos de um notável milagre feito por ela. Sabe-se que, mesmo vivendo em mosteiros próximos, os dois irmãos só se encontravam uma vez por ano. Com isso, eles seguiam fiéis à proposta de penitência e mortificação. Em uma dessas vezes, eles passaram o dia inteiro conversando sobre seus mosteiros e sobre assuntos espirituais.

Ao anoitecer, Bento, que cumpria com rigor as regras da vida monástica, preparou-se para ir embora. Escolástica pediu que ele permanecesse, pois queria que ficassem juntos e rezando durante toda a noite. Diante da resistência do irmão, ela começou a rezar com tanto fervor que se formou uma intensa tempestade. Uma chuva torrencial, acompanhada de muitos raios, se estendeu por toda a madrugada, obrigando Bento a ficar. Os dois irmãos, então, passaram a noite toda orando e conversando. Na manhã seguinte, o sol brilhava forte e Bento pode partir.

Esta foi a última vez em que eles se viram. Escolástica morreu apenas três dias depois do encontro e quarenta dias antes que seu querido irmão Bento.