Quem foi São Valentim, o protetor dos namorados?

Em muitos países, em 14 de fevereiro, dia de São Valentim, comemora-se também o Dia dos Namorados (Valentine’s Day). Ao longo da história, a figura deste santo ficou curiosamente vinculada ao surgimento do amor e ele acabou tornando-se padroeiro dos apaixonados. Mas você sabe como isso aconteceu?

Quem foi São Valentim?

São Valentim foi um romano nascido em Terni, no ano de 176, que se converteu ao cristianismo e foi consagrado bispo ainda bem jovem. Foi duramente perseguido por seu trabalho de evangelização e também por ter promovido casamentos entre romanos e cristãos. Morreu aos 97 anos como mártir, decapitado.

Como ele se tornou o protetor dos namorados?

O culto a São Valentim de Terni como protetor dos namorados remonta à Idade Média e parece ter origem na Inglaterra e na França em função da coincidência da festa em sua memória com a festa pagã dos Lupercalia. Esta festividade, que acontecia em 15 de fevereiro, a um mês do início da primavera, homenageava o deus Fauno e estava ligada à produtividade dos campos e à fecundidade dos rebanhos.

A festa de Lupercalia foi abolida pelo papa Gelásio I no ano de 494 por conta de seu paganismo. Mas, como muitos cristãos eram adeptos do rito, a Igreja “cristianizou” a festividade, mudando sua data para dia 14, Dia de São Valentim. Aos poucos, a relação da data com a fecundidade foi sendo transferida para a figura do santo, que acabou tornando-se o protetor dos apaixonados que queriam unir-se em um matrimônio abençoado com filhos.