Qual a diferença entre solenidade, festa e memória?

Você já deve ter percebido que há diferentes tipos de celebrações na Igreja Católica. Elas lembram fatos importantes para o povo de Deus e enriquecem a nossa fé. Obedecendo uma hierarquia, elas estão divididas em três grupos básicos: memórias, festas e solenidades. Você sabe qual a diferença de cada uma?

Solenidades

Essas são as celebrações de grau mais alto, reservadas principalmente aos mistérios da Paixão, Morte e Ressurreição do Senhor – como Natal, Páscoa e Pentecostes – assim como os principais títulos de Jesus, como Cristo Rei e Sagrado Coração, mistérios da vida de Nossa Senhora e episódios que mostram a ação de Deus na vida de Maria. Também são consideradas solenidades as celebrações que honram alguns santos que tiveram particular importância na história da salvação, como os dias dedicados a São Pedro, São Paulo e ao nascimento de São João Batista.

Assim como ocorre aos domingos, a celebração eucarística das solenidades tem três leituras, a oração dos fiéis, o Credo e o Glória (mesmo quando a solenidade cai no Advento ou na Quaresma). Nas solenidades, há liturgias exclusivas na antífona de entrada, na oração inicial, na oração sobre as oferendas, na antífona da comunhão e na oração depois da comunhão.

No Tempo Comum e no Tempo do Natal, as solenidades que caem nos domingos são celebradas nestes mesmos dias. Mas, no Advento, na Quaresma, na Semana Santa e no Tempo Pascal, costumam ser transferidas para a segunda-feira.

Existem as solenidades “gerais”, celebradas por toda a Igreja, e também as solenidades “particulares”, restritas a grupos ou regiões. O patrocínio de um santo pode ser comemorado como tal em determinada diocese, assim como algumas congregações comemoram seus fundadores de forma solene.

Festa
As celebrações consideradas festas também são importantes, mas em um grau inferior ao de solenidade. Elas honram algum mistério ou título de Jesus, de Nossa Senhora e de santos, como os apóstolos, os evangelistas e alguns mártires. Esses santos se destacaram por seu testemunho em Jesus Cristo e sua fé perseverante. Assim como acontece nas solenidades, alguns santos podem ter, em determinada diocese ou congregação, grau festivo, enquanto é comemorado como memória pelo restante da Igreja.

Na festa, normalmente, são feitas duas leituras e canta-se ou recita-se o Glória. Estas celebrações também costumam ter orações próprias. Diferentemente de outras festas, as que são dedicadas a Jesus – como a Transfiguração e a Exaltação da Santa Cruz – são celebradas também quando caem no domingo, tendo, nesse caso, três leituras, o Glória e o Credo.

Memória
A memória, que tem grau inferior à solenidade e à festa, comemora alguns títulos de Jesus, de Nossa Senhora ou de algum santo. Seu objetivo é reascender nos fiéis a lembrança de como é importante seguir mais de perto Nosso Senhor Jesus Cristo.

Há algumas memórias para as quais há leituras próprias, mas a maioria proclama as leituras do dia. Em alguns casos, a comemoração das memórias pode ser facultativas, conforme a importância que têm para determinadas congregações, institutos ou paróquias.