Como é a residência do papa?

Diferentemente dos últimos pontífices, o papa Francisco optou por não residir no Palácio Apostólico. Esse edifício vinha sendo ocupado pelos sucessores de Pedro desde o século XVII. Em 2013, quando iniciou seu pontificado, Francisco escolheu permanecer na Casa Santa Marta, hospedaria do Vaticano onde havia se abrigado durante o Conclave.

O alojamento, cujo nome oficial é “Domus Sanctae Marthae”, é dedicado à Marta de Betânia, a irmã de Lázaro. A residência foi construída entre 1992 e 1996, a partir de projeto do arquiteto norte-americano Louis Astorino. Normalmente a Casa Santa Marta é usada como hospedagem para bispos, sacerdotes e até leigos que precisam, por algum motivo, morar temporariamente ou passar um período mais longo no Vaticano.

A suíte ocupada pelo papa Francisco tem 50 metros quadrados, com decoração e mobiliário bastante simples. É composto por dois ambientes: uma saleta, com duas poltronas, um sofá, uma escrivaninha, uma estante de livros e um crucifixo; e um quarto, com apenas uma cama de madeira escura, uma mesa de cabeceira e um guarda-roupa.

A decisão do papa não foi de tudo uma grande surpresa. Como jesuíta, Francisco está acostumado a viver em comunidade e prefere a simplicidade e o despojamento. Em carta a um sacerdote argentino, ele explicou:

“Não quis ir morar no Palácio Apostólico, vou lá só para trabalhar e para as audiências. Fiquei morando na Casa Santa Marta, que é uma casa de hóspedes (onde ficamos hospedados durante o Conclave) para bispos, padres e leigos. Estou perto das pessoas e levo uma vida normal: missa pública de manhã, como no refeitório com todos, etc. Isto me faz bem e evita que fique isolado”.

No térreo da Casa Santa Marta, fica a capela onde o papa Francisco normalmente celebra missa pela manhã, antes do café. As refeições, ele faz junto com outros hóspedes no refeitório.

O apartamento papal privado que fica terceiro piso do Palácio Apostólico, com vista para a praça de São Pedro, é usada por Francisco somente para a recitação da oração dominical do meio-dia – Angelus ou Regina Coeli.