Qual a diferença entre mártir, veneráveis, servos de Deus e beatos?

Certamente você já ouviu falar em mártires, veneráveis, servos de Deus e beatos. Não raro essas palavras aparecem nas biografias de santos ou em processos de canonização. Mas você sabe o que significa exatamente cada um e a diferença entre eles? Hoje vamos tirar todas as suas dúvidas sobre o assunto!

Mártir
A palavra “mártir” é derivada do termo grego “martyros”, que significa testemunha. O papa emérito Bento XVI tem uma definição bem precisa sobre isso: “O martírio é a morte voluntariamente aceita por causa da fé cristã ou por causa do exercício de outra virtude relacionada com a fé”.

Servo de Deus
Caso a pessoa, sendo mártir ou não, apresente sinais de santidade, é aberto, pela diocese, um processo de canonização. O bispo, então, escolhe um postulador, que vai investigar a vida do candidato a santo, examinando documentos, ouvindo testemunhas, entrevistando especialistas etc. Logo que esse processo começa, o candidato ganha o título de Servo de Deus.

Venerável
A primeira parte do processo de canonização – e também a mais demorada – é o das virtudes ou do martírio. Se for um mártir, são pesquisadas a fundo as circunstâncias da morte. O objetivo é concluir se houve de fato martírio ou não. Caso tudo demonstre que sim e, após aprovação do pontífice, a pessoa ganha o título de Venerável.

Beato
Inicia-se então mais uma etapa, ao final da qual o candidato poderá tornar-se Beato. Para isso, é necessária a comprovação de um milagre ocorrido através de sua intercessão. O culto ao beato pode ser restrito à sua diocese ou a uma congregação.

Santo
Na terceira e última fase do processo, é preciso ser comprovado um segundo milagre. Caso isto aconteça, a pessoa é canonizada – ou seja, torna-se santa – e pode ser cultuada universalmente.