O que é e qual a importância do sacramento da Confissão?

O sacramento da Confissão foi instituído por Jesus para apagar os pecados cometidos por nós depois do Batismo. Como disse o papa Francisco, “é o lugar em que o pecador experimenta, de maneira singular, o encontro com Jesus Cristo, que se compadece de nós e nos dá o dom de Seu perdão misericordioso, faz-nos sentir que o amor é mais forte que o pecado cometido, liberta-nos de tudo o que nos impede de permanecermos em Seu amor”.

Um sacramento com vários nomes
Ele também é conhecido como sacramento da Reconciliação, da Penitência ou do Perdão:
“É chamado sacramento da conversão, porque realiza sacramentalmente o apelo de Jesus à conversão e o esforço de regressar à casa do Pai da qual o pecador se afastou pelo pecado.
É chamado sacramento da Penitência, porque consagra uma caminhada pessoal e eclesial de conversão, de arrependimento e de satisfação por parte do cristão pecador.
É chamado sacramento da confissão, porque o reconhecimento, a confissão dos pecados perante o sacerdote é um elemento essencial deste sacramento. Num sentido profundo, este sacramento é também uma «confissão», reconhecimento e louvor da santidade de Deus e da sua misericórdia para com o homem pecador.
E chamado sacramento do perdão, porque, pela absolvição sacramental do sacerdote. Deus concede ao penitente «o perdão e a paz».
E chamado sacramento da Reconciliação, porque dá ao pecador o amor de Deus que reconcilia: «Deixai-vos reconciliar com Deus» (2 Cor 5, 20). Aquele que vive do amor misericordioso de Deus está pronto para responder ao apelo do Senhor: «Vai primeiro reconciliar-te com teu irmão» (Mt 5, 24).” (Catecismo da Igreja Católica, 1423 e 1424)

Por que se confessar?
O ser humano é naturalmente inclinado ao pecado, que nos afasta de Deus e da Igreja. Por isso, a reconciliação é tão necessária. Precisamos nos libertar totalmente do pecado para vivermos uma vida plena de amor, conforme o Pai deseja.
Jesus Cristo disse aos apóstolos: “Recebei o Espírito Santo; àqueles a quem perdoar os pecados serão perdoados, e àqueles a quem os retiverdes serão retidos” (Jo 20, 22-23). Ao instituir este sacramento ele queria exatamente que todos tivessem a chance de serem convertidos. Porque, como disse o papa emérito Bento XVI, “Deus é um Deus que perdoa, porque ama as suas criaturas”.

Os passos da confissão
1. Primeiro, é preciso orar a Deus e pedir a graça do arrependimento sincero, afinal, às vezes sabemos que erramos, mas não nos arrependemos genuinamente.
2. Fazer um exame de consciência criterioso, revisando tudo o que você fez desde a última confissão e todos os pecados cometidos nesse tempo.
3. Confessar a um sacerdote católico ou bispo da Igreja Católica, que são as figuras com autoridade para celebrar este sacramento. Eles perdoam os pecados nome de Jesus Cristo e da Igreja.
4. Depois da confissão, é preciso seguir as orientações do padre, incluindo o ato de contrição e/ou a penitência.
5. E claro, deve-se ter o firme propósito de não pecar mais.
Você não precisa ter vergonha de confessar os seus pecados. Não há nada que você tenha feito que, sinceramente arrependido, não vá ser perdoado por Deus! O padre que o recebe é, naquele momento, o próprio Jesus, pronto para acolher você. Além disso, todo confessor está obrigado a manter sigilo sacramental absoluto sobre o que foi dito em confissão.
Quando e o que confessar
O católico tem a obrigação de confessar ao menos uma vez ao ano. Devem ser apresentados ao padre todos os pecados mortais . Não é necessário confessar os pecados veniais, embora fazer isso contribua enormemente para o crescimento espiritual, através da reflexão dos erros e da busca de uma vida de virtudes.