Devemos ter imagens e quadros de Jesus ou de santos em casa?

Será que é bom termos em casa imagens ou quadros de Jesus ou de santos? Muita gente ainda tem essa dúvida, já que, no Antigo Testamento, Deus condenou a idolatria por meio das imagens. O problema, no entanto, não está nas imagens, mas na idolatria!

Segundo o Catecismo da Igreja Católica, “O culto cristão das imagens não é contrário ao primeiro mandamento, que proíbe os ídolos. Com efeito, ‘a honra prestada a uma imagem remonta ao modelo original’ e ‘quem venera uma imagem venera nela a pessoa representada’. A honra prestada às santas imagens é uma ‘veneração respeitosa’, e não uma adoração, que só a Deus se deve” (2131).

Quando Jesus se encarnou e ganhou forma humana, Deus assumiu um corpo e, portanto, uma imagem, tornando-se visível aos homens. O próprio Cristo pediu, em aparição a Santa Faustina em 1931, na Polônia: “Pinta uma Imagem de acordo com o modelo que estás vendo, com a inscrição: ‘Jesus, eu confio em Vós’. Desejo que essa Imagem seja venerada, primeiramente, na vossa capela e, depois, no mundo inteiro”.

O lar é sempre um lugar sagrado. É em casa que damos os primeiros passos na vida cristã e onde a família se reúne para desfrutar plenamente do amor de Deus e toda a sua misericórdia. É, desta forma, muito saudável que tenhamos, em casa crucifixos, quadros e imagens de santos, pois são sinais visíveis da nossa fé. Através deles demonstramos nosso amor e veneração àqueles que neles estão representados!