Advento: tempo de espera

No último domingo, iniciamos o Tempo do Advento, data que também abre o novo Ano Litúrgico para a Igreja Católica. A palavra “advento” vem do latim (“adventus”) e significa “chegada”, “aproximação”. Este período é composto pelos quatro domingos que antecedem o Natal e nele celebramos duas verdades da nossa fé: as vindas de Jesus – a primeira é Seu nascimento em Belém e a segunda, que chamamos de Parusia, Sua vinda futura, em uma data que não conhecemos.

Durante este tempo, somos convidados a estarmos vigilantes, pois não sabemos o momento em que Jesus chegará: “Será como um homem que, partindo em viagem, deixa a sua casa e delega sua autoridade aos seus servos, indicando o trabalho de cada um, e manda ao porteiro que vigie. Vigiai, pois, visto que não sabeis quando o senhor da casa voltará, se à tarde, se à meia-noite, se ao cantar do galo, se pela manhã, para que, vindo de repente, não vos encontre dormindo. O que vos digo, digo a todos: vigiai!” (Mc 13, 34-37).

Neste período, não rezamos ou cantamos o Glória na Santa Missa, pois estamos num momento de espera pela vinda do Salvador. Há menos enfeites na igreja e as vestes sacerdotais e os paramentos litúrgicos usados no período são roxos, simbolizando a ansiedade pela chegada de um tempo de alegria plena. No primeiro domingo, acende-se a primeira vela da coroa do Advento, na cor roxa, em sinal do nosso desejo de conversão.

Devemos lembrar da proposta deste tempo litúrgico, nos preparando individualmente e também em comunidade para a chegada de Cristo. É tempo de nos arrependermos de nossos pecados e demonstrarmos nosso firme propósito de seguirmos confiantes o caminho de Jesus.