A corrente de Nossa Senhora

Quem é consagrado a Nossa Senhora sabe que há alguns objetos que servem como sacramentais, sinais visíveis dessa entrega irrestrita à Virgem Santíssima – correntes, escapulários, anéis, terços, pulseiras, medalhas, que, depois de abençoados, nos recordam o nosso compromisso de dedicação e devoção à Mãe de Deus.

Mas não basta ter uma corrente presa ao braço ou um escapulário no pescoço para consolidar esta entrega. Não é isso que torna a consagração efetiva. É preciso, acima de tudo, entrar no Coração Imaculado de Maria. No dia a dia, nos momentos bons e nos ruins, temos que sentir o batimento cardíaco de Nossa Senhora. Como bate Esse coração? Com raiva? Com ódio? Ou com amor e doçura? Esse coração carrega rancor ou resiliência? Que mensagens ele nos sussurra?

Desvendar o Imaculado Coração de Maria é fundamental, pois ele é nosso refúgio, um caminho seguro e uma via de salvação. A própria Nossa Senhora disse, na Cova da Iria: “o Meu Imaculado Coração será o teu refúgio e o caminho que te conduzirá a Deus”. Afinal, faz a ligação imediata do fiel com Cristo.

A corrente no braço é somente um sinal, uma manifestação do nosso amor pela Virgem. Mas a verdadeira corrente que nos liga a Nossa Senhora deve estar mesmo no coração. Assim, o Imaculado Coração de Maria será o nosso refúgio nos dias de alegria ou de tristeza, de paz ou de temor, haja o que houver.