Dia de rezar pelas almas

A celebração de Todos os Fiéis Defuntos – ou Dia de Finados, como muitos conhecem –, nos lembra da importância da oração por todos aqueles que já deixaram este mundo. Nesta data, é comum as pessoas acorrerem aos cemitérios para visitarem os túmulos de familiares e amigos e por eles rezarem. Mas, como nos ensina a Igreja, devemos fazer orações não apenas pelos conhecidos, mas também pelos desconhecidos. Todas as almas carecem das nossas preces.

Devemos converter nossa tristeza e nossa saudade em força para rezar por aqueles que estão no Purgatório, aguardando o momento de seguir para o Céu. Diferente do que popularmente se pensa, o Purgatório não é um lugar de punição, mas de preparação para o encontro com Deus. Segundo o Catecismo da Igreja Católica, “a Igreja denomina Purgatório esta purificação final dos eleitos, que é completamente distinta do castigo dos condenados”.

Como nos disse Nossa Senhora em Fátima, nossas orações são fundamentais para a salvação de todos e a eles podemos ajudar rezando conforme a própria Virgem nos ensinou: “Ó meu Jesus perdoai-nos, livrai-nos do fogo do Inferno. Levai as almas todas para o Céu e socorrei principalmente as que mais precisarem! Amém!”

O hábito de rezar para os falecidos remonta aos primórdios da Igreja. A festa litúrgica de Todos os Fiéis Defuntos, no entanto, foi instituída em 998, por Santo Odilon, monge beneditino e abade de Cluny, na França. A prática foi adotada por Roma no século XIV e se espalhou pelo mundo. Neste dia comemoramos o mistério da Ressurreição de Cristo que abre a todos a via da ressurreição futura.