O que fazer quando alguém interrompe minha oração?

Já aconteceu comigo várias vezes e tenho certeza de que com você também. A gente senta para rezar, se prepara, seleciona uma bela leitura da Bíblia, escolhe uma posição confortável e um local silencioso, começa a acalmar a mente e… toca o telefone. Ou a campainha. Ou o interfone. Ou uma criança chama “mãe!”.

É claro que, como bom ser humano que é, você pode ficar momentaneamente furioso. Mas não se deixe abalar. Respire fundo, resolva o que precisa ser resolvido e, em vez de se deixar tomar pela raiva, ofereça a Deus essa interrupção. Os pequenos percalços e sofrimentos da vida podem e devem ser oferecidos ao Pai pela salvação dos pecadores, assim como Nossa Senhora nos ensinou. Até mesmo esses pequenos problemas do dia a dia são ofertas valiosas.

A oração é de fato muito importante – e devemos nos esforçar para ter esse momento diário de recolhimento e contemplação –, mas se o imprevisto aparece, façamos disso também uma forma de estar mais perto de Deus! Não brigue com seu filho por ele ter interrompido. Receba-o com o carinho que ele deseja e precisa, assim como Jesus faria. Atenda a porta ou o telefone, se for necessário. Pode ser um amigo precisando de ajuda ou de atenção numa hora difícil. Fazer tudo com amor é uma forma de caminhar rumo à santidade.

A pausa na oração não é falta de consideração com Deus. Cada momento ser transformado em uma forma de glorificar o Pai e expressar nossa devoção. Mas, depois de tudo resolvido, não esqueça de retomar sua prece!