O perigo do ciúme para a família

O ciúme é um perigoso veneno que pode corromper as relações, incluindo as familiares. Quem nunca presenciou uma disputa entre irmãos pela atenção da mãe ou não viu o marido tendo um ataque porque sua mulher foi elogiada por outro homem? A questão é que, apesar de comum, o ciúme nos corrói aos poucos, minando a confiança e alimentando a inveja.

Definitivamente esse perverso sentimento nasce da insegurança, quando alguém acredita ser menos amado, estar perdendo a atenção ou o carinho de outra pessoa ou quando acha que não está tendo as mesmas chances. Mesmo que essas sensações não passem de ilusão, para o ciumento elas são como verdades absolutas.

Sem que se perceba, o ciúme vai crescendo e gerando um ressentimento, que aos poucos se converte em irritação, impaciência, agressividade. Aquele que era doce passa a ser competitivo, vingativo e revanchista. Como numa bola de neve, tudo acaba virando motivo para uma nova briga e um novo acesso de ciúmes.

E assim, a convivência familiar, que era saudável, começa a ficar pesada e difícil. Em vez de se ajudarem, irmãos acabam discutindo. E esposa e marido, que deveriam ser suporte da união familiar, acabam perdidos em trocas de acusações.

O papa Francisco faz um alerta!

Em tempo, papa Francisco alertou para o perigo do ciúme: “no coração, o ciúme ou a inveja crescem como a erva daninha: cresce, mas não deixa a erva boa crescer. Tudo o que pensa que pode ofuscá-lo, lhe faz mal. Não está em paz! É um coração atordoado, é um coração feio!”. E, de fato, o ciúme pode nos levar a atitudes extremas, como na história de Caim e Abel. Onde deveria haver amor de irmãos, se instalou o ciúme e Abel acabou assassinado por Caim.

Por isso, mesmo que, em alguns momentos, sejamos tomados por pequenas doses de ciúmes, precisamos cuidar para que essa inquietude não nos domine. Todos os dias, temos que exercitar o respeito e a confiança na família, estimulando a conversa franca, o diálogo e a oração. Quando todos expressam seus medos, inseguranças e necessidades, é mais fácil buscar soluções que garantam a paz interior de cada membro! E juntos na fé, todos se sentem mais seguros e fortalecidos!