6 formas de alimentar o amor no casamento

Quem olha um casal que passou 30, 40, 50 anos juntos pode ficar se perguntando como eles conseguiram manter acesa a chama do amor por tanto tempo. Eu e Berthaldo ainda não chegamos lá, mas já percorremos um longo caminho e, portanto, já tenho alguma experiência nesse negócio.

Não é segredo para ninguém que, depois dos anos iniciais de relacionamento, a paixão tende a diminuir. Não falo do sentimento de afeição, mas da sensação física de excitação e necessidade que costumamos sentir logo que começa o namoro. Como são efeito dos nossos hormônios, após uns três anos – é o que diz a ciência! – a euforia começa a dar lugar a outras sensações.

Há um prazer muito peculiar e extremamente incrível que decorre da intimidade. Conhecer o outro a fundo, a ponto de prever como ele irá reagir em diferentes situações, e ser conhecido desta mesma forma cria uma união tão profunda que nos envolve como um laço. É como se passássemos a ser transparentes, como se o parceiro pudesse ver dentro da nossa alma. É imensurável a sensação de bem-estar provocada pelo olhar cúmplice, pela risada parceira, pelos gestos característicos do marido ou da esposa.

Mas, para chegar a este ponto, é preciso dispensar um cuidado especial à relação. Fazendo uma analogia simples com um planta, é preciso regar periodicamente para o amor crescer saudável. Por isso, trouxe hoje algumas dicas testadas e aprovadas aqui em casa!

Rezem juntos
O matrimônio é algo sagrado e instituído por Deus. Portanto, nada mais natural do que Ele ser o centro da vida conjugal. A oração aproxima quando o casal está brigado, anima quando o casal está triste e fortalece quando falta a esperança. Peçam ao Pai que mantenha o amor, a tolerância e a paciência entre vocês, para que ambos sejam exemplos de vida cristã aos que estão em volta.

Respeitem as diferenças
É preciso lembrar-se que seu marido ou sua mulher não é igual a você e, portanto, não pensa da mesma forma nem valoriza as mesmas coisas que você. Enquanto talvez você prefira a praia, ele pode gostar do campo. Você pode achar fundamental arrumar a cama antes de sair para trabalhar e ele pensar que isso é uma perda de tempo. Tudo bem. O que vocês precisam é conversar e chegar a um consenso para evitar atritos. Se todo mundo ceder um pouco, os dois se beneficiam.

Fujam da rotina de vez em quando
Quando se passa muito tempo juntos, a tendência é a relação acabar na monotonia. Para evitar isso, façam juntos coisas diferentes – se matricular num curso novo, jantar em lugar que nenhum dos dois conhecia, pegar o outro de surpresa para almoçar no meio da semana, deixar um bilhete carinhoso dentro da carteira do parceiro e tudo mais que a sua imaginação mandar. As novidades e surpresas sempre dão um friozinho na barriga e nos deixam com uma sensação gostosa de quero-mais, não é?

Separem um tempo só para vocês dois
Essa dica vale principalmente (mas não apenas) para quem tem filhos. Trabalhar, administrar a casa e cuidar dos pequenos nos toma bastante tempo. Por isso, é importante ter umas horinhas a sós, em que possam conversar, assisitir a um filme juntos, saber das novidades da vida do parceiro e aproveitar a companhia um do outro.

Sejam francos
Guardar rancor não leva a lugar nenhum. Sempre que seu marido ou sua mulher falar ou fizer algo que desagrade você, em vez de ficar remoendo a raiva, converse. Seja sincero, mas carinhoso. Aponte aquilo que você não achou legal e sugira uma forma de resolverem juntos o problema. Mágoas guardadas viram uma bola de neve que, lá na frente, vai atropelar vocês dois.

Dediquem-se a um projeto em comum
Uma ótima maneira de fortalecer a intimidade e a cumplicidade é cultivar um projeto em comum. Pode ser uma aula de artes, uma atividade esportiva, um projeto de voluntariado ou, como no meu caso e do Berthaldo, um trabalho religioso. Quando um estiver desanimado, o outro pode sustentar e vocês crescerão como casal.