Conversando com Deus

Frequentemente, falo aqui sobre a importância da oração. Mas muitas pessoas me procuram relatando sua dificuldade em rezar. Dificuldade em manter silêncio e ouvir a voz de Deus, ouvir o que Ele tem a dizer. A todos que vêm a mim, sempre digo que oração é diálogo: podemos falar e escutar. E lembro das aparições de Jesus a Lúcia em Pontevedra, na Espanha. Tanto na aparição de 1925 quanto nas que ocorreram nos dois anos seguintes, Lúcia conversa com Jesus:

“No dia 17-12-1927, foi junto do Sacrário perguntar a Jesus como satisfaria o pedido que Ihe era feito, se a origem da devoção ao Imaculado Coração de Maria estava encerrada no segredo que a SS. Virgem Ihe tinha confiado. Jesus, com voz clara, fez-lhe ouvir estas palavras:

– Minha filha, escreve o que te pedem; e tudo que te revelou a SS. Virgem, na aparição em que falou desta devoção, escreve-o também; quanto ao resto do segredo, continua o silêncio.” (Memórias da Irmã Lúcia, pág. 191).

Vejam que este momento é propriamente uma conversa. Lúcia fala e Jesus ouve. Da mesma forma, quando Jesus fala, Lúcia escuta. Ela pergunta e ele responde. Será que seria este um privilégio da pastorinha? Será que, por ter sido testemunha das aparições de Nossa Senhora de Fátima e por ter seguido vida religiosa, ela teria algum tipo de distinção que a permitiria ouvir a voz do Mestre? Claro que não!

Deus falou com Abraão, com Isaac, com Moisés, com Josué. Falou com muitos santos. Da mesma forma, todos nós podemos ouvir as mensagens divinas. Qualquer um com o coração aberto e a alma serena, pode escutar o que Jesus diz. É claro que isso demanda treino. Provavelmente não será na primeira oração, talvez nem na segunda ou na terceira. Mas é preciso persistir. Esse diálogo é resultado da intimidade. E intimidade não se ganha no primeiro encontro, não é?

Pegue sua bíblia, sente calmamente em uma igreja ou capela, fique em silêncio. Faça leituras, contemple, reflita. Ouça seu coração e deixe-o falar. Com o tempo, a voz de Deus vai chegando. Com o tempo, ela virá com mais e mais intensidade, mais completude, mais vigor. Até que essa conversa será clara, como a conversa de um Pai com um filho. Não desista. Deus quer falar com você!