Será que os pecados já não são tão pecaminosos assim?

Deus nos deu Sua graça e nos abençoou, inflando em nós Seu Espírito quando fomos batizados. Mas, para alcançarmos o Reino dos Céus, precisamos fazer a nossa parte. É preciso vivermos com correção, buscando sempre as virtudes e cuidando para não cairmos em tentação. No entanto, hoje, é comum as pessoas relativizarem os pecados, como se eles não fossem mais tão pecaminosos assim…

A influência da mídia, a banalização de alguns comportamentos inadequados e o grande acesso a informações e tendências vêm mudando a maneira como alguns enxergam e avaliam o que é pecado. Hoje, muitos já não consideram tão grave aquela “mentirinha branca”, namorar várias pessoas ao mesmo tempo ou ainda exagerar naquela comida deliciosa no final de semana.

Mas este é um grande erro! O pecado é exatamente o desejo desordenado, descontrolado. Se não cuidarmos, os maus hábitos tomam conta de nossas vidas! Eles vão crescendo e nos dominando. Quando percebemos, já é tarde demais. São Paulo já nos alertou: “Acaso não sabeis que os injustos não hão de possuir o Reino de Deus?” (1 Cor 6,9)

Selecionamos três pecados que, atualmente, parecem não assustar mais, para que você fique alerta e vigilante:

Gula

É claro que podemos comer e beber com prazer. Com moderação, não há qualquer problema. Mas entregar-se ao hábito de se alimentar em quantidade exagerada ou ingerir bebidas alcoólicas em demasia vai minando nosso espírito e nos afastando dos propósitos de Deus, pois nos leva a diversos outros pecados.

Luxúria

Certamente você já ouviu alguém dizer: “o corpo é meu, faço dele o que eu quiser”. É uma pena que as pessoas pensem isso, pois nossos corpos são templos de Deus. O prazer sexual nos foi concedido por Deus para que, dentro do matrimônio, possamos gerar filhos. Mas a erotização excessiva corrompe e degrada.

Mentira

Não vale alegar que é só uma “mentirinha pequena” e que ninguém vai saber. Não importa o tamanho ou o assunto ao qual se refere, a mentira é um atentado aos Mandamentos que Deus nos deixou. Ela guarda em si um desejo de enganar e se torna uma porta para o mal.