Saiba como usar corretamente o escapulário de Nossa Senhora do Carmo

Em 16 de julho, celebramos Nossa Senhora do Carmo. E é impossível falar d’Ela sem citar a tradição do escapulário, cujo uso foi por Ela consagrado, tornando-se popular em todo o mundo.

Seu nome e Sua história estão atrelados ao Monte Carmelo, uma colina na Terra Santa considerada sagrada. Foi lá que Deus se manifestou para o profeta Elias e onde ele viveu como eremita, imerso em oração, junto com alguns discípulos. Muitos anos depois, já no século XI, esta mesma vida contemplativa inspirou a fundação de uma ordem religiosa no local, batizada de Ordem do Carmo.

Expulsos do Monte Carmelo pelos muçulmanos, os carmelitas se espalharam pela Europa, mas sofreram a resistência de diversas ordens religiosas. Eram hostilizados e ofendidos.

Em meio à tribulação, no dia 16 de julho de 1251, o então superior geral da ordem, São Simão Stock, rezava o terço em seu convento e pediu a Nossa Senhora um sinal de sua proteção, que fosse visível não apenas aos religiosos da ordem, mas também aos adversários. Foi então que a Virgem lhe apareceu e entregou o escapulário, dizendo:

“Recebe, filho amado, este escapulário. Todo o que com ele morrer, não padecerá a perdição no fogo eterno. Ele é sinal de salvação, defesa nos perigos, aliança de paz e pacto sempiterno”.

Depois dessa aparição, os carmelitas se expandiram e se tornaram uma das maiores ordens da Igreja Católica. Que Nossa Senhora do Carmo siga intercedendo por nós e nos cobrindo com seu manto de proteção!

A Igreja estabelece algumas condições para o uso do escapulário de Nossa Senhora do Carmo. Em primeiro lugar, o ato de receber o escapulário deve ser feito por imposição, em rito apropriado, feita por algum sacerdote ou diácono ou outras pessoas autorizadas pela Igreja. Durante a cerimônia, deve-se usar a forma tradicional, em tecido marrom, com dois pedaços de pano unidos em tiras, como uma veste que se coloca sobre o pescoço, lembrando um avental. Posteriormente, esse item pode ser substituído por uma medalha apropriada, conforme autorização papal concedida em 1910. Com a imposição do escapulário, a benção se transfere para a pessoa que o recebeu, pois ela se torna um membro da família carmelita!

Nossa Senhora do Carmo, rogai por nós!