A dor e o sofrimento dos pastorinhos

Em virtude das aparições de Nossa Senhora, os pastorinhos sofreram muito. Foram alvo de desconfiança, incredulidade, deboche e zombaria. Da mesma forma como muitos acreditavam nas visões e queriam se aproximar dos pequenos para serem indiretamente beneficiados por graças divinas, havia tantos outros que tripudiavam das três crianças, exercendo sobre elas uma crueldade sem limites.

Talvez o episódio mais perverso ocorrido com os pastorinhos tenha sido sua prisão. Eles foram detidos na cadeia de Ourém por ordem do administrador regional, que intencionava fazê-los revelar o Segredo confiado às crianças por Nossa Senhora. A prisão foi precedida de dois interrogatórios, que não deram em nada, pois, fiéis ao que a Virgem tinha lhes pedido, não contaram coisa alguma às autoridades.

No livro Fátima, que recentemente eu e Kenya publicamos em parceria com a Globo Livros, contamos em detalhes o desespero dos pastorinhos. Diante do silêncio inquebrável de Lúcia, Francisco e Jacinta, o administrador, irritado, ameaçou fritá-los vivos em uma caldeira com azeite quente. Junto com outros detentos, os três rezaram o terço, oferecendo todo medo e angústia pela conversão dos pecadores e pela reparação aos pecados cometidos contra o Imaculado Coração de Maria. Apesar das ameaças, mantiveram-se firmes na disposição de não contar nada.

Jacinta foi a primeira a ser levada para “ser queimada”. Sem que os outros soubessem, foi submetida a novo interrogatório, sem nada revelar, e em seguida conduzida a outra sala. Francisco, que achava que, naquele instante, sua irmã estava sendo torturada a óleo quente, pedia aflito em oração para que ela não tivesse medo. Ele foi o segundo a ser levado. Disseram-lhe que sua irmã já tinha sido queimada e que, caso não contasse nada, ele teria o mesmo destino. Mas ele nada contou. Lúcia foi a última e, embora tenham lhe dito que os primos estavam mortos, negou-se a revelar qualquer coisa. O reencontro foi cheio de emoção e lágrimas, com apreensão misturada à alegria de perceberem que todos estavam vivos.

Após três dias de intensas inquirições, os pastorinhos foram levados de volta à Cova da Iria e entregues ao prior de Fátima. Apesar da idade, eles deram um exemplo incrível de lealdade a Nossa Senhora, que nos inspira até hoje.

Se você quer conhecer mais sobre os fatos relacionados à aparição, não deixe de ler Fátima. O livro está à venda em todo o país, em lojas físicas e também na internet clicando aqui. Nos ajude a difundir cada vez mais a mensagem que Nossa Senhora nos deixou!