Deus a quis livre do pecado

Maria, mãe de Cristo, tem diversas alcunhas, mas a mais especial é Virgem. A certeza de que Nossa Senhora era e permaneceu sempre imaculada é um dos pilares da nossa fé, um dogma do qual não podemos nunca duvidar. Apesar disso, muitos se questionam por que Maria teria sido concebida sem o pecado original. A resposta é simples: porque “Deus queria, Deus podia e Deus fez”, conforme frase do Beato Dum Scott.

Foi desejo do Pai que ela fosse concebida sem mácula, sem qualquer mancha do pecado, para ser digna de ser a Mãe de Seu filho. Afinal, como poderia uma mulher pecadora gerar em seu ventre o autor da Salvação?! Para que Seu filho viesse isento do pecado original, sua progenitora também deveria ser inteiramente pura! Para que Cristo pudesse ser santo, assim também deveria ser Maria!

Da mesma forma, ao longo de toda sua vida, Nossa Senhora manteve-se imune ao pecado. Repleta da graça divina, jamais foi vencida pelo mundo e sua concupiscência. Ela jamais foi derrotada pelo desejo desordenado e pela soberba que atormenta a humanidade. A Virgem Maria nunca sucumbiu às tentações nem aos pecados terrenos. Por isso, o demônio a odeia tanto. Por isso, ele declarou guerra a esta mulher tão especial e à sua descendência. Afinal ela é prova inconteste do poder de Deus.

Maria, Nossa Senhora, Mãe Santíssima é nossa grande intercessora. A mulher que Deus escolheu para ser a Mãe de Jesus, a quem foi atribuída graça sem limites e que o Senhor preservou de todo o mal, é nossa privilegiada medianeira. A esta mulher tão santa e especial devemos diariamente apresentar nossas preces. Nossa Senhora da Imaculada Conceição, rogai por nós!