Esperança e fé

A esperança é o “ato de esperar aquilo que se deseja obter”, segundo consta no dicionário. Esperamos uma visita, um romance, um encontro, um presente de aniversário, uma festa especial, a aprovação no vestibular, o primeiro dia no emprego novo, a recuperação de uma doença, esperamos o futuro – e que ele seja melhor do que o hoje.

A espera envolve expectativa, mas sobretudo, confiança. Todo aquele que espera o faz porque está certo de que o seu objeto virá, de que o melhor virá, de que haverá algo novo e especial. E de onde vem esta certeza? De Deus, é claro! É do Senhor que brota a esperança!

Mesmo quando as coisas vão mal e nos sugerem que o final não será feliz, é a fé que nos faz superar o medo e não desanimar. A crença no poder de Deus e em Seu amor acolhedor é o que nos leva a esperar. A esperança, portanto, anda de braços dados com a fé.

Mas como, em muitos momentos, é difícil esperar! Ficamos impacientes, irrequietos, irritadiços. O tempo não passa. Correm as horas, os dias, os meses. A espera às vezes é longa e sofrida. Durante o curso da nossa vida, assim como aprendemos a andar e a falar, temos que aprender também a esperar. Porque as coisas não acontecem no nosso tempo, mas no tempo de Deus.

Falei recentemente aqui sobre o teólogo português José Eduardo Borges de Pinho e volto a ele hoje, porque é dele uma frase muito emblemática sobre este assunto: “Neste caminho de aprendizagem da esperança, de crescimento na experiência de que a nossa esperança
está verdadeiramente no Senhor, a oração ocupa um “lugar” nevrálgico, ela é vivência existencial do que significa esperar, tornando-nos mais capazes de perceber a presença de Deus na sua aparente ausência”.

Para quem espera, a oração pode ser um grande alívio: sentir a presença de Deus e Sua Providência, ouvir Sua palavra, entender que Ele tem um plano para cada um de nós. A esperança só faz sentido na fé, que se vive a fundo em oração.

* Não tenhais medo. Em COSTA, Bernardino, coord. – Não tenhais medo: itinerário temático do Centenário das Aparições de Fátima: 3.º ciclo. Fátima: Santuário de Fátima, 2012. p. 13-26.