Maria: mãe e intercessora

Quem de nós nunca recorreu a Nossa Senhora para obter uma graça? Afinal, Maria, mãe de Deus e também nossa mãe, é uma fiel e poderosa intercessora. Tomada por Seu amor maternal, Seu senso de piedade e Sua luz consoladora, Ela nos socorre sempre, intercedendo por nós junto ao Senhor.

Os pastorinhos foram testemunhas privilegiadas do poder intercessor da Virgem Santíssima. Em seu livro de memórias, Lúcia narra alguns dos inúmeros pedidos que ela, Jacinta e Francisco recebiam daqueles que souberam das aparições e desesperadamente necessitavam da intercessão da dispensadora das graças divinas:

“– Pelo amor de Deus! peçam a Nossa Senhora que me cure meu filho, que é aleijadinho!
Outro:
– Que me cure o meu, que é cego!
Outro:
– O meu, que é surdo!
– Que me traga meu marido…
– … meu filho, que anda na guerra!
– Que me converta um pecador!
– Que me dê saúde, que estou tuberculoso!” (Memórias da Irmã Lúcia, pág 179)

A cada mês, à medida em que os relatos sobre as aparições de Nossa Senhora em Fátima iam se tornando mais e mais conhecidos, aumentava o número de pessoas rogando para que eles levassem à Mãe do Céu seus pedidos. E, depois, também viam os pastorinhos crescer a quantidade de gente que retornava em reconhecimento pelas graças recebidas.

Maria, mãe tão amorosa e misericordiosa, nos estende a mão e por nós intercede junto ao Pai. Em comunhão com Deus, Ela advoga por nós e trabalha em nosso auxílio. Carinhosamente, Ela ouve nossos pedidos e os leva ao Senhor, tornando-Se nosso refúgio sublime.

É por meio da oração, sincera, silenciosa e dedicada, que abrimos este caminho de escuta e amor com Nossa Senhora. É na prece zelosa, na conversa diligente, na súplica desvelada que chegamos ao colo da Virgem Santíssima e desfrutamos da sua solidária mediação. Maria ouve nossos corações e faz chegar ao Pai o que há de mais profundo em nosso ser. Ela nos escuta, nos acolhe e nos aproxima de Deus.