Maria: exemplo no Dia Internacional da Mulher

Hoje celebra-se o Dia Internacional da Mulher. A data foi oficializada pela Organização das Nações Unidas (ONU) somente em 1975, mas protestos por melhores condições de vida e de trabalho para elas já ocorriam desde o início do século XX. Num momento em que as mulheres ainda sofrem em função da desigualdade e da violência, o exemplo de Nossa Senhora pode ser uma fonte de inspiração na busca por um mundo mais justo e de mais amor.

Escolhida para ser a mãe do filho de Deus, Maria era cheia de virtudes, mas algumas se destacavam em sua personalidade e transformaram seu exemplo em um grande testemunho de vida cristã. Era dona de uma fé inabalável, que a levou a confiar plenamente em Nosso Senhor e em Seus desígnios, ajudando-O a levar à frente o plano da salvação. Gerou dentro de si o Salvador, mas manteve sempre a humildade e a pureza. Ela foi fiel ao projeto de Deus, doou-se, amou sem medida, cuidou de Jesus e adotou como seus filhos todos os outros seres humanos.

Frente aos sofrimentos, a Virgem demonstrou toda a sua força interior, fruto da fé e da certeza do amor de Deus. A mesma fortaleza que hoje somos chamados a alcançar, sejamos nós mulheres ou homens. Maria é aquela que nos traz a esperança a cada luta, a cada direito subtraído, a cada queda. E também aquela que nos dá o ânimo para continuar. Como ela, podemos ser sinal de fé e de perseverança.

Além de ser a mãe de Cristo, Nossa Senhora foi também esposa, dona de casa, irmã, filha – como tantas outras mulheres de todos os tempos. Enfrentou dilemas e dificuldades que muitas mulheres ainda passam, mas manteve-se de pé, vigilante, zelosa e amorosa. Hoje, Maria nos ampara e nos acolhe. Mais do que nunca seu exemplo nos guia rumo a um mundo melhor.