Jamais julgar os outros

Todos nós, em maior ou menor medida, temos o hábito de julgar os outros. São desde pequenas críticas (“ele está muito cafona hoje”, “essa moça parece chata demais”, “que criança mal-educada”) até juízos mais profundos, sobre o que está certo ou errado. Fazemos isso inúmeras vezes todos os dias: avaliamos, rotulamos e condenamos as pessoas, muitas vezes sem nem ao menos percebermos.

Ao fazermos isso, corremos um grande risco: o de sermos injustos. Em geral, sentenciamos outras pessoas com base em nossas próprias crenças e nosso ponto de vista. Frequentemente não conhecemos a realidade do outro e pelo que está passando. Não nos colocamos no lugar dele. Não podemos julgar, pois não sabemos o que ele sentiu para ter feito tais escolhas ou agido de determinada forma.

Jesus já nos orientava a não julgar: “Não julguem os outros para que vocês também não sejam julgados. Pois da mesma maneira como vocês julgam os outros, também serão julgados e a medida que usarem para outros, essa será a mesma medida que Deus usará para vocês.” (Mt 7, 1-2)

É importante lembrarmos que não somos donos da verdade. Só Deus vê tudo e sabe de tudo. Portanto, como lembrou o papa Francisco certa vez em uma homilia, só Ele tem o poder de julgar: “Julgar os outros é algo feio porque o único juiz é o Senhor”.

2019-01-07T16:36:17+00:00

Deixar Um Comentário