O significado dos símbolos do Natal

Incorporados à tradição do Natal e difundidos em todo o mundo, símbolos como a árvore e o presépio são usados por todos nós para a decoração de nossas casas. Mas você sabe a origem, o real significado e a importância deles?

A árvore natalina é um símbolo que foi incorporado pelo cristianismo há muitos séculos. Acredita-se que sua origem esteja ligada a São Bonifácio, que trabalhou intensamente pela conversão dos povos celtas no século XIII. Conta a história que esses povos tinham o carvalho como uma árvore sagrada, dedicada a Thor, deus celta do trovão. Em seu lugar, São Bonifácio adotou o abeto (árvore semelhante a um pinheiro) como símbolo do menino Jesus. Escolheu-o pelo fato de seus ramos apontarem sempre para o céu e por seu formato triangular, que remete à Santíssima Trindade. Outros elementos acrescentados à árvore ao longo dos séculos também têm significados especiais. As lâmpadas, por exemplo, fazem referência a Jesus como a Luz Eterna.

Apesar de tanto simbolismo, a árvore não é o principal ícone do Natal. O presépio, que reproduz a cena do nascimento de Cristo, é sem dúvida a representação mais importante ligada à data. O primeiro presépio da história foi montado por São Francisco de Assis na Itália, no século XIII, com uma manjedoura revestida de palha, o menino Jesus, um boi e um burro. A iniciativa se popularizou e os presépios já eram frequentes nas igrejas no século XVI, principalmente em função do trabalho dos padres jesuítas.

Se você ainda não montou o presépio e a árvore de Natal em sua casa, então faça-o! E aproveite para, em família, torná-lo um momento de oração e contemplação, na espera pela chegada de Cristo!