É possível receber um elogio sem se sentir orgulhoso?

Quem não gosta de receber um elogio? É bom ser reconhecido pelos seus feitos, pelo seu esforço, pela sua inteligência ou até mesmo pela sua beleza. É claro que ele é uma grande motivação para seguirmos no bom caminho, mas é também preciso muito cuidado para que os aplausos não nos tornem orgulhosos.

Todos os dias, a cada ação, a cada passo, devemos lembrar que nossos dons nos foram dados por Deus para que possamos servir aos irmãos. Ou seja, tudo o que temos e o que somos devemos colocar à disposição da construção do Reino do Pai.

Quando recebemos um elogio, temos três opções. A primeira é construtiva, na medida em que nos leva à humildade, nos indicando que estamos de fato usando bem os dons dados pelo Senhor. Mas os outros dois caminhos são perigosos. Podemos nos tornar tão cheios de nós mesmos a ponto de nos acharmos autossuficientes ou tão centrados em nós que nos tornamos egoístas.

Em ambos os casos, deixamos de usar nossos dons em prol do outro. No lugar, trabalhamos apenas para obter glória, querendo, mesmo que inconscientemente, nos igualar cada vez mais ao próprio Deus. Da soberba, esse pecado capital tão nocivo, descendem muitas outras faltas, como a vaidade, a arrogância, a prepotência, a vanglória e o egocentrismo.

Dá próxima vez em que você for elogiado, no lugar de inflar o peito e vangloriar-se, dedique um momento a refletir sobre o elogio e sobre o que o levou a recebê-lo. Veja se você fez de fato um bom uso dos seus dons ou se poderia ter feito ainda mais. Mas, ao contrário, se ninguém o elogiar, não fique chateado. Como disse Jesus, “quem se exaltar será humilhado, e quem se humilhar será exaltado” (Mt 23,12).