Cristo ressuscitou! Aleluia!

Foi no domingo que as mulheres foram ao sepulcro e, no lugar do corpo de Jesus, encontraram o próprio Cristo ressuscitado! O filho de Deus que morreu crucificado para nos redimir dos nossos pecados agora nos traz uma nova vida!

“Depois do sábado, quando amanhecia o primeiro dia da semana, Maria Madalena e a ou­tra Maria foram ver o túmulo. E eis que houve um violento tremor de terra: um anjo do Senhor desceu do céu, rolou a pedra e sentou-se sobre ela. Resplandecia como relâmpago e suas vestes eram brancas como a neve. Vendo isso, os guardas pensaram que morre­riam de pavor. Mas o anjo disse às mulheres: “Não temais! Sei que procurais Jesus, que foi crucificado. Não está aqui: ressuscitou como disse. Vinde e vede o lugar em que ele repousou. Ide depressa e dizei aos discípulos que ele ressuscitou dos mortos. Ele vos precede na Galileia. Lá o haveis de rever, eu vo-lo disse”. Elas se afastaram prontamente do túmulo com certo receio, mas ao mesmo tempo com alegria, e correram a dar a Boa-Nova aos discípulos. Nesse momento, Jesus apresentou-se diante delas e disse-lhes: “Salve!”. Aproximaram-se elas e, prostradas diante dele, beijaram-lhe os pés.” (Mateus 28, 1-9)

O sentido da Páscoa

A palavra “Páscoa”, derivada do hebraico Peshah, significa “passagem”. Originalmente era comemorada por pastores nômades do hemisfério norte na época da primavera, quando estes migravam de região, oferecendo a Deus os primogênitos dos rebanhos e as primeiras colheitas de cevada. No tempo de Moisés, a Páscoa passou a representar a passagem da escravidão do Egito à liberdade.

Foi justo na época da Páscoa judaica que Jesus morreu e ressuscitou, dando a nós, cristãos, um novo significado a esta festa: a passagem da morte para uma nova vida. Uma vida em que há luz e liberdade, em que a fé substitui o medo, em que a morte dá lugar ao triunfo.

A Páscoa é a festa mais importante da Igreja Católica, porque é a celebração da nossa salvação. Cristo Se deu por nós. Foi humilhado, machucado e crucificado para nos fazer mais santos, para que sejamos perdoados, para que, transformados, possamos ter uma vida plena de sentido.