Afinal, o que é indulgência plenária?

Afinal, o que é indulgência plenária?

De acordo com o Catecismo da Igreja Católica, pelas “indulgências, os fiéis podem obter para si mesmos e também para as almas do Purgatório, a remissão das penas temporais, sequelas dos pecados” (§ 1498).

O Manual das Indulgências explica que indulgência é “a remissão, diante de Deus, da pena temporal devida aos pecados já perdoados quanto à culpa, que o fiel, devidamente disposto e em certas e determinadas condições, alcança por meio da Igreja, a qual, como dispensadora da redenção, distribui e aplica, com autoridade, o tesouro das satisfações de Cristo e dos Santos”.

Para ficar bem claro, é preciso esclarecer que o pecado tem duas consequências: a culpa e a pena. A culpa é perdoada através do sacramento da confissão. Já a pena, que é a desordem e a impureza que o pecado deixa no coração do pecador, é eliminada pela indulgência.

Qualquer um pode obter a indulgência plenária para si ou para as almas que estão no purgatório, mas não para outra pessoa viva.

Qual a diferença entre indulgência plenária e indulgência parcial?

A indulgência parcial redime apenas parte da pena devida pelo pecado cometido e que a pessoa deveria cumprir no purgatório. Já a plenária, libera totalmente a pena temporária.

Como obter uma indulgência plenária?

Para receber a indulgência plenária, a pessoa deve estar em estado de graça, disposta a abandonar qualquer tipo de pecado, e cumprir três condições:

  • confessar-se (se houver mais de um pecado, basta fazer a confissão uma vez, relatando todos eles);

  • receber a Sagrada Eucaristia;

  • rezar pelo Papa ao menos um Pai-Nosso, Ave-Maria e Glória ao Pai.

Não é necessário que os três sejam feitos no mesmo dia, mas é recomendável.

Além disso, deve realizar uma dessas práticas, à sua escolha:

  • adoração ao Santíssimo Sacramento pelo menos por meia hora;

  • leitura espiritual da Sagrada Escritura ao menos por meia hora;

  • piedoso exercício da Via-Sacra;

  • recitação do Rosário de Nossa Senhora na igreja, no oratório, na família, na comunidade religiosa ou em piedosa associação.

A Indulgência plenária só pode ser obtida uma vez por dia, a não ser em situação em que a pessoa estiver correndo risco de morte. Nesse caso, o fiel poderá ganhar a indulgência plenária excepcional por esse motivo, mesmo que já tenha recebido outra indulgência plenária na mesma data.

Indulgência plenária no Ano de São José