A confissão nos cinco primeiros sábados

Disse Maria à Irmã Lúcia na aparição que lhe fez em dezembro de 1925: “diz que todos aqueles que durante 5 meses, ao 1.° sábado, se confessarem, recebendo a Sagrada Comunhão, rezarem um Terço e Me fizerem 15 minutos de companhia, meditando nos 15 mistérios do Rosário, com o fim de Me desagravar, Eu prometo assistir-lhes, na hora da morte, com todas as graças necessárias para a salvação dessas almas”.

A devoção dos cinco primeiros sábados  nos mostra como Deus é misericordioso! Através de nossa Mãe Amantíssima e da devoção para desagravar Seu Imaculado Coração, o Senhor nos oferece a reconciliação.

A confissão foi um dos pedidos de Nossa Senhora para nos conceder a graça da salvação. Mas o que não é a confissão senão um grande presente divino? A chance de, diante de Deus e do sacerdote, expressarmos todo nosso arrependimento: “eu pequei, Senhor, eu pequei contra Ti, agravei as dores do coração da Virgem Santíssima, já não sou digno de ser chamado Teu filho”. Mas o Senhor, na sua infinita misericórdia, nos concede o perdão dos nossos pecados e restaura a paz em nossos corações. Ele nos cura!

Quando, nos primeiros sábados, colocamos todo o nosso amor no Coração Imaculado de Maria, o Pai cura também o nosso coração. Ele nos liberta das amarras do pecado para seguirmos vivendo em Seu Amor. Isto, sim, é um tesouro do céu.