“Orai, orai muito”

“Um belo dia, fomos com as nossas ovelhinhas para uma propriedade de meus pais que fica ao fundo do dito monte voltado ao nascente. Chama-se essa propriedade Chousa Velha. […] Alguns momentos havia que jogávamos, e eis que um vento forte sacode as árvores e faz-nos levantar a vista para ver o que (se) passava, pois o dia estava sereno. Vemos, então, que sobre o olival se encaminha para nós a tal figura de que já falei. […] À maneira que se aproximava, íamos divisando as feições: um jovem dos seus 14 a 15 anos, mais branco que se fora de neve, que o sol tornava transparente como se fora de cristal e duma grande beleza. Ao chegar junto de nós, disse:

– Não temais! Sou o Anjo da Paz. Orai comigo” (Memórias da Irmã Lúcia, pág 77)

Desde a primeira vez que apareceu aos pastorinhos em Fátima, o Anjo dedicou-se a motivá-los a rezar. “Meu Deus! Eu creio, adoro, espero e amo-Vos. Peço-Vos perdão para os que não crêem, não adoram, não esperam e Vos não amam”, ensinou-lhes. Em outra ocasião, o Anjo lhes disse: “Orai, orai muito. Os Corações Santíssimos de Jesus e Maria têm sobre vós desígnios de misericórdia. Oferecei constantemente, ao Altíssimo, orações e sacrifícios” (pág 78)

A oração sincera é um caminho direto e certeiro para Deus e Nossa Senhora. É a ponte entre o nosso coração e a misericórdia divina. É o momento de nos abrirmos, sem reservas, colocando nas mãos da Mãe e do Pai Celestes nossas dores, sofrimentos, esperanças e anseios. Um tempo para sentir Sua presença e ouvir Sua voz.

Então, aproveite e tire um momento, todos os dias, para a oração. Guarde nem que seja alguns poucos minutos para rezar, apoveitando aquele momento sagrado para estar sozinho com Deus e com Maria!