Maria: a Mãe da Redenção

Viver a Páscoa através dos ensinamentos de Nossa Senhora

Estamos no Período da Páscoa. Há poucos domingos, tivemos a grande alegria da ressurreição de Nosso Senhor Jesus Cristo, após vivermos com Ele o sofrimento da crucificação. E, aos pés da cruz, Jesus, através de São João, nos entregou à Santíssima Virgem Maria para ser a nossa Mãe. “Quando Jesus viu sua mãe e perto dela o discípulo que amava, disse à sua mãe: Mulher, eis aí teu filho. Depois disse ao discípulo: Eis aí tua mãe. E dessa hora em diante o discípulo a levou para a sua casa” (Jo.19, 25-27). Maria foi a única que permaneceu com a chama da fé viva, preparando-se para acolher o anúncio jubiloso e surpreendente da ressurreição.

Nossa Senhora sobreviveu a obscuridade da morte e, por meio da sua fé, Ela nos ensinou a termos, não somente coragem, mas fé. E neste tempo pascal, nós, comunidade cristã, ao nos dirigirmos à mãe do Senhor e nossa, somos convidados a nos alegrar: “Regina caeli, laetare. Aleluja!”, “Rainha do céu, alegra-te. Aleluia!”. Oração que fazemos no horário do Angelus, a fim de recordarmos a alegria de Maria pela ressurreição do filho amado. Somos convidados também a contemplar os Mistérios Gloriosos na Oração do Santo Terço. E com Maria – a nossa Mãe – nos alegrarmos pelo mistério da redenção do Senhor Jesus.

Com a Mensagem de Fátima, nós podemos refletir a quão iluminadas são as diversas dimensões desse exemplo de amor e fé de Maria. Nossa Senhora, em suas aparições, nos pediu a estarmos diariamente com Jesus, através da Oração do Terço, a fim de meditarmos a vida do seu filho. Esse momento de luz para o nosso caminho espiritual, nos exorta a avançarmos com Maria ao triunfo do amor misericordioso do Salvador. “Com o Filho, aprendemos [a viver] a filiação”, (Guião de Fátima, 1 Ciclo, p 25).

O nome Jesus significa, etimologicamente, “Deus salva”. E quando Nossa Senhora lhe deu esse nome, Ela já tinha em mente a comunhão entre os povos, e queria que o Senhor se aproximasse dos homens e se fizesse acessível. “Foi em Jesus que Deus entrou e continua a entrar na vida histórica dos homens (…) E “a Igreja existe no mundo para manter viva a memória do Jesus Cristo Vivo.” (Guião de Fátima, 1º Ciclo).  E Maria, Mãe da Igreja, nos mantém firmes na fé para que possamos manter de pé e darmos continuidade ao Mistério da Salvação.

Quando Nossa Senhora apareceu aos Pastorinhos, logo na sua primeira aparição, Ela lhes disse “Não tenhais medo. Eu não vos faço mal”. E logo depois, fez um convite “Quereis oferecer-vos a Deus para suportar todos os sofrimentos que Ele quiser enviar-vos, em ato de reparação pelos pecados com que Ele é ofendido e de súplica pela conversão dos pecadores?”

E Lúcia narra que, após os Pastorinhos dizerem “Sim, queremos”, a Virgem Santa “abriu pela primeira vez as mãos, os comunicando uma luz tão intensa, como um reflexo, que penetrando no peito e no mais íntimo da alma, os fez ver, em Deus, uma luz mais claramente que nos vemos no melhor dos espelhos. Então por um impulso íntimo também comunicado, caímos de joelhos e repetíamos intimamente: – Ó Santíssima Trindade, eu Vos adoro. Meu Deus, meu Deus, eu Vos amo no Santíssimo Sacramento.” (Memórias da Irmã Lúcia, 2013). Nesta narrativa, Lúcia nos ensina como Maria se faz uma luz tão intensa, a fim de nos irradiar a beleza do Seu Filho. E nós podemos também sentir essa luz por meio do Sacramento da Eucaristia. O Mistério de Fátima é reflexo do Mistério da Salvação, no qual Maria coloca o seu filho Jesus Cristo no centro das nossas vidas.

“Adorar a Eucaristia é contemplar a entrega amorosa de Jesus pela salvação da humanidade, corresponder no amor ao amor com que Deus primeiro nos amou. Jesus, de fato, morre e ressuscita como nasce e como vive, fazendo entrega de Si mesmo”. (Guião, 1º ciclo, p 25). E Nossa Senhora de Fátima nos ensinar a estarmos com Jesus e a ajuda-lo na conversão dos pecadores, por meio da entrega, da oração e dos sacrifícios. E “a Eucaristia é, portanto, uma vida que se forma em cada discípulo de Jesus. «Fazei isto em minha memória» é o chamamento que Jesus faz a cada discípulo para uma total identificação com Ele”.  (Guião, 1º ciclo, p 46).

A Santíssima Virgem nos impulsiona a atendermos diariamente a esse chamado de Cristo. Quando Ela pede “Rezai o terço todos os dias”, Nossa Senhora nos prepara, por meio da oração, a recebermos Jesus Sacramentado. Em sua peregrinação a Fátima, o Papa Emérito Bento XVI disse que a “Oração do Rosário nos permite fixar o nosso olhar e o nosso coração em Jesus, como sua Mãe, modelo insuperável da contemplação do Filho. Ao meditar os mistérios ao longo das ‘Ave-Marias’, contemplamos todo o mistério de Jesus; contemplamos a participação íntima de Maria neste mistério e a nossa vida em Cristo hoje, também ela tecida de momentos de alegria e de dor, de sombras e de luz, de trepidação e de esperança. A graça invade o nosso coração no desejo de uma incisiva e evangélica mudança de vida de modo a poder proclamar com São Paulo: «Para mim viver é Cristo» (Fl 1, 21), numa comunhão de vida e de destino com Cristo”. (Bento XVI apud Guião de Fátima, 1º ciclo).

Maria esteve presente junto de Deus na glória, e se fez presente através de sua intercessão maternal. E é essa Mãe a quem devemos recorrer, nessa Mãe devemos nos apoiar através de nossas orações. O Concílio Vaticano II (Lumen gentium, 62) aponta que “Maria cuida, com amor materno, dos irmãos de seu Filho que, entre perigos e angústias, caminham ainda na terra até chegarem à pátria bem-aventurada. Por isso, a Virgem é invocada na Igreja com os títulos de advogada, auxiliadora, socorro, medianeira”. E, em seu leito de morte, Jesus nos entregou a sua Santa Mãe para que possamos amar e também cuidar. E, do Céu, Maria Santíssima vive em perpétuo ministério da visitação. E a nós, cabe o esforço de recebermos essa gloriosa visita e nos alegrarmos assim como a prima Isabel que se alegrou ao ver a “Cheia de Graças”.

Por meio dos ensinamentos da Mensagem de Fátima, podemos viver a Páscoa de Jesus, que se faz corpo, sangue, alma e divindade e está presente em todos os sacrários do mundo inteiro.

Que possamos viver, com Maria, a alegria de sermos filhos de Deus. Feliz Páscoa!

Fontes: Bíblia Sagrada, Guião de Fátima – Ciclo 1, Livro Memórias da Irmã Lúcia

Texto: Rita Vasconcelos

2018-04-16T19:11:50+00:00 abril 16th, 2018|Formação|1 Comentário

Um Comentário

  1. maria dos prazeres silva. abril 30, 2018 em 11:14 am

    TUDO POR JESUS NADA SEM MARIA;!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Os comentários estão encerrados.

Fale conosco

contato@tardecommaria.com.br

Telefone: +55 21 3114 0000